O Transplante


Aqui você terá noções básicas
sobre transplante capilar.
 
Esclareça dúvidas e agende sua consulta: SP (11) 3031.1221 e RJ (21) 4063-9102
A ARTE DO TRANSPLANTE

O QUE É UM RESULTADO DE TRANSPLANTE CAPILAR REALMENTE NATURAL?

É aquele que ninguém será capaz de identificar como resultado de uma cirurgia, sob quaisquer circunstâncias, ou seja, olhando bem de perto, passando a mão, molhado, despenteado, etc...Como numa pessoa nunca operada.

Depoimentos de nossos pacientes no pós operatório – passado o período de crostas - revelam que a impressão das pessoas é de que estejam tomando algum tipo de medicamento para crescer cabelo. São perguntas e comentários do tipo: “O que está acontecendo? Você está tomando algum remédio? Está ficando cabeludo”. Mas nunca são capazes de dizer que se tratou de transplante capilar, ficando a critério do paciente revelar a informação..

Mas como conseguir um resultado de transplante capilar absolutamente natural?Como nosso intuito é o de imitar ao máximo a natureza, mostraremos a seguir um caso “não operado” e a seguir, como então imitar ao máximo essa distribuição natural. Nesse exemplo, de que o individuo (não operado) que tem uma vasta cabeleira, a noção que se tem é de que a densidade e volume são imediatos e a primeira linha é reta.

Porém, se aproximarmos e dermos um close up, notaremos que não é bem assim.Podemos ver que a densidade só acontece à partir da quarta ou quinta linhas, ou seja, nas primeiras linhas a densidade é menor. Isso ocorre porque as unidades foliculares nessa região são compostas basicamente de 1 fio somente e à partir da 4 ou 5 linhas a densidade aumenta pois temos unidades foliculares com 2 e 3 fios.

Se aproximarmos ainda mais nosso close up, notaremos que o design das primeiras linhas não é reto como se imaginava, mas sim de forma triangular, com triângulos externos menos densos e compostos de unidades de 1 fios e triângulos internos mais densos, compostos basicamente de unidades de 2 fios.

E por último, notamos que os fios da frente são mais sofisticados que o restante, isto é, são mais finos e delicados o que proporciona um aspecto de “ penugem” característica das primeiras linhas de frente. Nota-se também que esses cabelos estão distribuídos de forma desordenada e com ângulos de inclinação diferentes e aleatórios, pois a natureza é errática e não simétrica e calculada.

Linhas de frente ou Hairline: compreendem as primeiras linhas da frente e são responsáveis pela aparência natural dos transplantes.

O grande desafio do cirurgião que se dedica ao transplante capilar é a criação de um hairline, ou seja, 5 ou 6 primeiras linhas de frente absolutamente natural.

Sendo assim, para imitarmos ao máximo a natureza, as primeiras 4 a 5 linhas de frente devem obrigatoriamente ser confeccionadas fio a fio (somente single hairs) e a densidade deve ir aumentando somente à partir da 5 a 6 linhas, inserindo à partir daí as unidades foliculares com 2 fios e causando portanto um efeito de densidade em degradé.

Além disso, como mostramos anteriormente, ele não pode ser confeccionado de forma retilínea e sim irregular (triangular) para mimetizar ao máximo a natureza e oferecer um resultado absolutamente natural.

Para as primeiras linha de frente, como já dito anteriormente, devem ser utilizadas as unidades foliculares de 1 fio, porém devemos separar as mais finas das demais, as quais chamamos de ultrafines (saiba mais clicando aqui) que são semelhantes aos da “penugem” das primeiras linhas de frente encontradas na natureza.

Decidindo o melhor design a adotarEste design é muito importante, pois o contorno capilar é a moldura do rosto e portanto, o novo design a ser adotado depende não somente de conhecimento científico, mas também de senso estético e arte.

Michelangelo quando da concepção da estátua de David, dividiu a face em três terços (inferior, médio e superior) e definiu que tanto no homem como na mulher, a distância da linha capilar anterior (primeira fileira de cabelos) até a glabela (região entre as sobrancelhas), deveria ser igual a desse ponto até a base do nariz, que deveria ser igual a base do nariz ate ponto mais baixo do queixo.


*divisão estética da face e linha capilar segundo Michelangelo

Porém no caso do transplante de cabelos, não temos área doadora suficiente para trazer essa linha até esse ponto, ou até temos, porém correndo o risco de, no futuro, com o avanço da calvície não termos, pois a calvície é progressiva.

Para confeccionar o novo design, devemos levar em consideração então, além do tipo de rosto, tipo de face e de testa; o balanço AD x AR e antecedentes familiares para calvície no caso de pacientes jovens (menos 35 anos). Se o balanço área doadora x área receptora for negativo, ou seja, pouca área doadora e muita área calva, não teremos outra alternativa senão diminuir a área receptora calva criando um design com entradas acentuadas.

ou aumentando a altura da testa.

Pois como já dissemos anteriormente: “É mais estético uma área menor e densa que uma área grande e rarefeita”. Como puderam observar, não é necessário deixar a testa baixa ou sem entradas, pois muitos galãs apresentam entradas e/ou testa alta.Vejam por exemplo esse ator da série de TV barrados no baile. Notem que mesmo possuindo a testa alta e sendo jovem ele fica melhor sem o boné, o que mostra que mesmo com a linha capilar mais alta, a estética pode ser preservada.

No caso de pacientes que tenham cabelo e queiram apenas atenuar as entradas ou adensar onde já existe cabelo, devemos manter o design já existente ou, no caso de descermos a linha de frente, devemos fazê-lo acompanhando o desenho que já existia.

Inclinação dos Fios

Essa inclinação deve acompanhar a dos fios que ainda existem ou a que existia na região para que o resultado fique natural, acompanhando inclusive os “redemoinhos”. Nos casos de balanço AD x AR negativo, porém, temos optado por acentuar esta inclinação. Isto porque quanto mais inclinados forem colocados os fios em relação ao couro cabeludo, maior será o volume aparente do resultado final, devido ao chamado “efeito persiana”: um fio cai sobre o outro, tal qual uma persiana se fechando. (Vide trabalho publicado e apresentado pelo Dr. Ruston “ Efeito Persiana”)

Veja na simulação abaixo, o mesmo numero de fios, transplantados com diferentes ângulos de inclinação em relação ao couro cabeludo.

Distribuição dos fios

Temos optado por distribuir os enxertos para a maior área possível logo na primeira sessão. Ou seja, tratar a maior área possível para que fique a impressão de que o paciente esteja tomando algum medicamento para crescer cabelo, e não que fez um transplante.

O ser humano trabalha com proporcionalidade das formas. Assim, se trabalharmos por área específica, tratando, por exemplo, primeiro frente e meio e depois coroa, esta parecerá mais calva ainda em contraste com as primeiras. Isto levará o paciente a realizar novo procedimento para regularizar o resultado, além de deixar nítido de que se tratou de transplante - já que cabelos não aparecem naturalmente em uma só região.

Veja esses dois exemplos abaixo. No da esquerda, operado na Clínica Ruston, utilizamos o critério de otimização. O paciente foi submetido a duas cirurgias com intervalo de 9meses entre cada uma delas. Note que a cada cirurgia ele se torna “ menos calvo” e de forma absolutamente natural.Já no caso da direita, operado em outro serviço e corrigido na Clínica Ruston, veja que somente parte da área calva foi transplantada na primeira sessão o que trouxe um aspecto artificial estranho ao resultado, que só foi regularizado após nossa intervenção. Teria sido melhor, terem tratado toda área de forma mais rarefeita.

X
*caso operado na Clínica Ruston (2 sessões) x caso operado em outro serviço

* É importante deixarmos claro que Naturalidade independe do número de fios transplantados. É certo que quanto mais fios, maior o volume, mas não necessariamente mais natural e estético o resultado final Veja exemplos abaixo.O caso da direita está mais cheio, mas não mais natural pois ninguém seria capaz de dizer que o paciente da esquerda foi submetido a um transplante capilar, mesmo tendo sido transplantado um baixo número de unidades foliculares (UFs).


*cabelos finos 1530 UFs                          cabelos grossos 2570 UFs

Pense no seguinte: Se você fosse calvo necessitasse de 30.000 fios de cabelo para corrigir sua calvície, mas só pudesse ter 100 fios em sua área calva, você os recusaria? Provavelmente não. Imagine então 1000 fios: não seriam melhor que 100 ? E 2000 não seriam melhor que 1000? Ou seja, quanto mais cabelos, “ menos calvo” você ficaria e de forma 100% natural. desde que respeitada a correta distribuição dos mesmos.

Veja o exemplo abaixo de um caso de correção realizado por nosso serviço.

Pela foto “Antes”, vê-se um exemplo de caso em que o critério mencionado não foi seguido. Com sua aplicação na correção, o resultado é de um couro com menos cabelo, porém de aparência muito mais natural. (Foto “Depois”)

Ou seja, transplantar 100 fios com noção estética de distribuição e técnica adequada é melhor que transplantar 5000 fios errando o design, deixando tufos aparentes, danificando a área doadora, causando trauma ao paciente e, logo, depondo contra a técnica como um todo. Temos recebido muitos médicos, provenientes de diversas partes do mundo, que desejam aprender a técnica utilizada em nosso serviço e temos sugerido a todos eles que optem pela primeira política, ainda que um número menor de fios resulte em baixa densidade inicial. Afinal, a capacidade para transplantar com maior densidade e volume pode ser suprida no decorrer do tempo conforme a habilidade seja desenvolvida e a equipe cresça, sem prejuízo da naturalidade dos resultados e/ou da área doadora.

O profissional competente, e que irá produzir resultados naturais, é o que, além de se preocupar com aspectos citados, reúne: conhecimento teórico e prático; habilidade manual; senso estético; equipe numerosa, treinada e qualificada e a preocupação com alguns pequenos detalhes que sempre fazem uma enorme diferença.

* Lembrem-se de que apenas alguns detalhes foram citados aqui. (veja mensagem do Dr. Ruston).

Mas nossa mensagem seria: É a naturalidade do resultado que importa, mais do que a quantidade de fios transplantados. A idéia é deixar o paciente o “menos calvo” possível a cada sessão, de forma 100% natural. Veja alguns de nossos RESULTADOS

  Clínica Ruston
Av. Engenheiro Oscar Americano, 60 - Cidade Jardim
São Paulo - SP - Brasil
Telefax: SP +55 (11) 3031.1221 | RJ (21) 4063-9102